Logo Elsevier

EsteéoconteúdodoPacientEngagement

O que acontece quando o paciente vai para casa?

Saiba mais sobre nossos produtos de Patient Engagement agora! Transforme seus pacientes em participantes ativos em seus cuidados de saúde, dando a eles acesso fácil às mesmas informações baseadas em evidências em que você confia - mas fornecidas em um formato fácil de entender.

Aug.19.2019
 Sepsis, Diagnosis, Adult

Sepse, diagnóstico, adulto

Sepsis, Diagnosis, Adult

A sepse é uma reação séria do corpo a uma infecção. A infecção que desencadeia a sepse pode ser causada por bactérias, vírus ou fungos. A sepse pode ser o resultado de uma infecção em qualquer parte do corpo. As infecções que normalmente levam à sepse incluem infecções da pele, do pulmão e do trato urinário.
A sepse é uma emergência médica que precisa ser tratada imediatamente em um hospital. Em casos graves, a sepse pode levar a um choque séptico. O choque séptico pode enfraquecer o coração e fazer com que a pressão arterial caia. Isso pode fazer com que o sistema nervoso central e os órgãos do corpo parem de funcionar.

Quais são as causas?

Esse quadro clínico é causado por uma reação grave a uma infecção bacteriana, viral ou fúngica. Os germes que levam mais comumente à sepse incluem:
  • Bactérias Escherichia coli (E. coli).
  • Bactérias Staphylococcus aureus (estafilococo).
  • Alguns tipos de bactérias estreptococo.
As infecções mais comuns afetam os seguintes órgãos:
  • Pulmão (pneumonia).
  • Rins ou bexiga (infecção do trato urinário).
  • Pele (celulite).
  • Intestinos, vesícula biliar ou pâncreas.

O que aumenta o risco?

Você terá maior probabilidade de manifestar esse quadro clínico se:
  • Estiver com o sistema de defesa contra doenças (sistema imune) enfraquecido.
  • Tiver mais de 65 anos de idade.
  • For homem.
  • Tiver passado por cirurgia ou ter permanecido internado.
  • Você tiver esses dispositivos inseridos no seu corpo:
    • Um tubo pequeno e fino (cateter).
    • Acesso intravenoso (IV).
    • Tubo respiratório.
    • Cateter de drenagem.
  • Não estiver ingerindo nutrientes suficientes dos alimentos (desnutrição).
  • Tiver uma doença de longo prazo (crônica), como câncer, doença cardíaca, doença renal, diabetes ou doença pulmonar.
  • Tiver ascendência afro-americana.

Quais são os sinais ou sintomas?

Os sintomas deste quadro podem incluir:
  • Febre.
  • Ter calafrios ou sentir muito frio.
  • Confusão ou ansiedade.
  • Fadiga.
  • Dores musculares.
  • Falta de ar.
  • Enjoo e vômito.
  • Urinar muito menos que o normal.
  • Frequência cardíaca rápida (taquicardia).
  • Respiração rápida (hiperventilação).
  • Alterações na cor da pele. Sua pele pode parecer manchada, pálida ou azul.
  • Pele fria, pegajosa ou suada.
  • Erupções cutâneas.
Outros sintomas dependem da fonte da infecção.

Como esse quadro clínico é diagnosticado?

Esse quadro clínico é diagnosticado com base em:
  • Seus sintomas.
  • Seu histórico médico.
  • Um exame físico.
Outros testes também podem ser feitos para descobrir a causa da infecção e a gravidade da sepse. Esses exames podem incluir:
  • Exames de sangue.
  • Exames de urina.
  • Raspagens de outras áreas de seu corpo que possam ter infecção. Essas amostras podem ser testadas (colocadas em cultura) para descobrir qual tipo de bactéria está causando a infecção.
  • Exame de radiografia para procurar pneumonia. Outros exames de imagem, como um exame de TC (tomografia computadorizada), também podem ser realizados.
  • Punção lombar. Este procedimento extrai uma pequena quantidade do líquido que envolve o cérebro e a medula vertebral. Em seguida, o líquido é examinado em busca de infecções.

Como esse quadro clínico é tratado?

Esse quadro deve ser tratado em um hospital. Com base na causa da infecção, a criança pode receber antibiótico, antiviral ou antifúngico.
Você poderá receber também:
  • Fluidos por via intravenosa (IV).
  • Oxigênio e auxílio para respirar.
  • Medicamentos para elevar sua pressão arterial.
  • Diálise renal. Esse processo limpa o sangue, no caso de falha em seus rins.
  • Cirurgia para remover o tecido infectado.
  • Transfusão de sangue, se necessário.
  • Medicamentos para evitar coágulos sanguíneos.
  • Nutrientes para corrigir desequilíbrios nas funções básicas do corpo (metabolismo). Você poderá:
    • Receber sais e minerais (eletrólitos) importantes por via intravenosa (IV).
    • Ter o nível de açúcar no sangue ajustado.

Siga essas instruções em casa:

Medicamentos

  • Tome medicamentos vendidos com ou sem receita médica somente de acordo com as indicações do seu médico.
  • Caso tenha recebido uma prescrição de antibiótico, antiviral ou antifúngico, tome-o somente como determinado pelo médico. Não pare de tomar o medicamento mesmo se começar a se sentir melhor.

Instruções gerais

  • Caso esteja com um cateter ou outro dispositivo permanente, peça para que ele seja removido assim que possível.
  • Compareça a todas as consultas de acompanhamento de acordo com as orientações do seu médico. Isso é importante.

Entre em contato com um médico se:

  • Não sentir que está melhorando ou recuperando sua força.
  • Estiver com problemas para lidar com a recuperação.
  • Sentir-se cansado com frequência.
  • Sentir-se pior ou não parecer melhorar depois da cirurgia.
  • Achar que pode ter uma infecção depois da cirurgia.

Obtenha ajuda imediatamente se:

  • Tiver algum sintoma de sepse.
  • Tiver dificuldade para respirar.
  • Tiver batimentos cardíacos rápidos ou irregulares.
  • Estiver confuso ou desorientado.
  • Tiver febre alta.
  • Sua pele ficar manchada, pálida ou azul.
  • Tiver uma infecção que está piorando ou que não está melhorando.
Esses sintomas podem representar um problema sério e ser uma emergência. Não espere para ver se os sintomas desaparecem. Procure um médico imediatamente. Ligue para o número de emergência local (911, nos EUA). Não dirija por conta própria até o hospital.

Resumo

  • A sepse é uma emergência médica que requer tratamento imediato no hospital.
  • Esse quadro clínico é causado por uma reação grave a uma infecção bacteriana, viral ou fúngica.
  • Com base na causa da infecção, a criança pode receber antibiótico, antiviral ou antifúngico.
  • O tratamento também pode incluir fluidos por via intravenosa (IV), auxílio para respirar e diálise renal.

Estas informações não se destinam a substituir as recomendações de seu médico. Não deixe de discutir quaisquer dúvidas com seu médico.

;