Logo Elsevier

EsteéoconteúdodoPacientEngagement

O que acontece quando o paciente vai para casa?

Saiba mais sobre nossos produtos de Patient Engagement agora! Transforme seus pacientes em participantes ativos em seus cuidados de saúde, dando a eles acesso fácil às mesmas informações baseadas em evidências em que você confia - mas fornecidas em um formato fácil de entender.

Jun.16.2020
 Social Anxiety Disorder, Pediatric

Transtorno de ansiedade social, pediátrico

Social Anxiety Disorder, Pediatric

O transtorno de ansiedade social (TAS), anteriormente chamado de fobia social, é um problema de saúde mental. Crianças com TAS geralmente ficam nervosas, com medo ou constrangidas quando estão em meio a outras pessoas em situações sociais. Elas ficam preocupadas se os outros estão julgando ou criticando a aparência, o que elas dizem ou como agem. Esses sintomas persistem por 6 meses ou mais e estão presentes na maior parte dos dias.
O TAS é mais do que apenas ficar tímido ou desconfortável em algumas ocasiões. Pode causar forte angústia emocional. Pode interferir nas atividades da vida cotidiana. O TAS também pode levar ao uso de álcool ou outras drogas e até mesmo suicídio.
O TAS é um problema de saúde mental comum. Pode surgir a qualquer momento, mas em geral começa na adolescência.

Quais são as causas?

A causa desse quadro clínico é desconhecida. Pode envolver genes que são passados pelas gerações da família. Eventos estressantes podem desencadear ansiedade. Esse transtorno também está associado a uma hiperatividade da amígdala. A amígdala é a parte do cérebro que aciona a resposta da criança a sentimentos fortes, como medo.

O que aumenta o risco?

Esse quadro clínico tem maior probabilidade de se manifestar em:
  • Crianças com histórico familiar de transtornos de ansiedade.
  • Meninas.
  • Crianças com distúrbios físicos ou comportamentais que as fazem sentir-se constrangidas ou nervosas, como gagueira ou doenças duradouras (crônicas).

Quais são os sinais ou sintomas?

O principal sintoma desse quadro clínico é o medo do constrangimento causado por ser criticado ou julgado em situações sociais. A criança pode ter medo de:
  • Apresentar-se ou falar na frente de outras pessoas.
  • Praticar esportes de equipe ou realizar outras atividades em grupo.
  • Ir à escola.
  • Usar o banheiro em público ou usar o banheiro da escola.
  • Brincar com outras crianças.
  • Ir ao mercado fazer compras.
  • Comer em um restaurante.
  • Conhecer adultos.
O medo e a ansiedade extremos podem causar sintomas físicos, incluindo:
  • Choro ou acessos de mau humor.
  • Ficar vermelho.
  • Batimento cardíaco acelerado.
  • Sudorese.
  • Mãos ou voz trêmulas.
  • Confusão.
  • Sensação de desfalecimento.
  • Irritação no estômago, diarreia ou vômito.
  • Falta de ar.
  • Recusar-se a falar.

Como esse quadro clínico é diagnosticado?

Esse quadro clínico é diagnosticado com base no histórico, sintomas e comportamento da criança em situações sociais. O médico da criança pode perguntar sobre o uso de álcool, drogas e medicamentos vendidos com receita. O médico pode encaminhar você e a criança a um profissional de saúde mental para avaliação ou tratamento específicos. O médico também pode querer conversar com os professores e cuidadores da criança.

Como esse quadro clínico é tratado?

Esse quadro clínico pode ser tratado com:
  • Terapia cognitivo-comportamental (TCC). Esse tipo de psicoterapia ajuda a criança a aprender a substituir pensamentos e comportamentos negativos por pensamentos e comportamentos positivos. Isso pode incluir aprender melhores habilidades para controlar a ansiedade e se acalmar.
  • Terapia de exposição. Essa terapia consiste em ajudar a criança a praticar habilidades autocalmantes e, depois, expor a criança a situações sociais que causam medo. O tratamento começa imaginando situações nas quais a criança sente medo ao mesmo tempo em que ela se mantém calma. Com o tempo, a criança aprenderá a lidar com situações mais difíceis ao mesmo tempo em que permanece menos reativa.
  • Medicamentos antidepressivos. Esses medicamentos geralmente são usados junto com outras terapias.
  • Biofeedback. Esse processo é um treinamento para que a criança controle as respostas de seu corpo (respostas fisiológicas) por meio de técnicas de respiração e métodos de relaxamento. A criança trabalhará com um terapeuta enquanto máquinas são usadas para monitorar os sintomas físicos dela.
  • Relaxamento e técnicas de controle da ansiedade. Incluem respiração profunda, autodiálogo, meditação, visualização mental, musicoterapia, relaxamento muscular e ioga. São frequentemente usados junto com outras formas de terapia. A criança pode praticá-las por conta própria com sua orientação.
Esses tratamentos geralmente são usados em combinação.

Siga essas instruções em casa:

Atividades

  • Ajude a criança a treinar estratégias de relaxamento e controle da ansiedade nos momentos em que não houver estresse. Trabalhe gradualmente para usar essas estratégias nas situações estressantes.
  • Incentive a criança a participar de atividades sociais quando ela se sentir pronta para isso. Discuta quais são as atividades apropriadas com a criança e com o médico dela. Ajude a criança a traçar um plano.

Instruções gerais

  • Dê medicamentos vendidos com ou sem receita médica somente como indicado pelo médico da criança.
  • Trabalhe em conjunto com o médico da criança, incluindo terapeutas. Você pode aprender maneiras que ajudem você e a criança a lidar com situações estressantes.
  • Informe os professores ou as pessoas que cuidam da criança sobre a ansiedade social do seu filho. Discuta maneiras pelas quais elas podem ser compreensivas e ajudar.
  • Oriente a criança a evitar cafeína, álcool e certos medicamentos para resfriado vendidos sem receita médica. Eles podem fazer a criança se sentir pior. Pergunte ao seu farmacêutico quais medicamentos deve evitar.
  • Compareça a todas as consultas de acompanhamento de acordo com as orientações do médico da criança. Isso é importante.

Onde conseguir mais informações

Entre em contato com um médico se:

  • Os sintomas da criança não melhorarem ou piorarem.
  • Você achar que a criança está usando drogas ou álcool.
  • A criança tiver sinais de depressão, como:
    • Tristeza ou mau humor persistentes.
    • Perda de prazer em atividades que sempre foram prazerosas para ela.
    • Apresentar alteração no peso ou no apetite.
    • Alteração no sono.
    • Evitar os amigos ou familiares mais do que o usual.
    • Falta de energia em tarefas normais.
    • Sensação de falta de valor ou sentimento de culpa.
  • A criança ficar mais isolada do que o normal.
  • A criança falar menos do que seria o normal para ela.
  • Você não conseguir controlar a criança em casa.

Obtenha ajuda imediatamente se:

  • A criança machucar a si mesma.
  • A criança pensar seriamente em machucar a si mesma ou machucar os outros.
Se você achar que a criança pode querer se machucar, machucar outras pessoas ou falar sobre tirar a própria vida, busque ajuda imediatamente. Você pode ir ao pronto-socorro mais próximo ou ligar para:
  • O número de emergência local (911, nos EUA).
  • Um serviço telefônico de prevenção do suicídio, como o National Suicide Prevention Lifeline (Linha da Vida de Prevenção ao Suicídio Nacional), no número 1-800-273-8255. Funciona 24 horas por dia.

Resumo

  • Crianças com transtorno de ansiedade social (TAS) geralmente ficam nervosas, com medo ou constrangidas quando estão em meio a outras pessoas em situações sociais.
  • O TAS é um transtorno mental comum. Pode surgir a qualquer momento, mas em geral começa na adolescência.
  • O tratamento inclui terapia, medicamentos, biofeedback e técnicas de relaxamento. Esses tratamentos geralmente são usados em combinação.

Estas informações não se destinam a substituir as recomendações de seu médico. Não deixe de discutir quaisquer dúvidas com seu médico.

;