Logo Elsevier

EsteéoconteúdodoPacientEngagement

O que acontece quando o paciente vai para casa?

Saiba mais sobre nossos produtos de Patient Engagement agora! Transforme seus pacientes em participantes ativos em seus cuidados de saúde, dando a eles acesso fácil às mesmas informações baseadas em evidências em que você confia - mas fornecidas em um formato fácil de entender.

Oct.25.2021
 Supporting Someone With Obsessive-Compulsive Disorder

Como dar suporte a alguém com transtorno obsessivo-compulsivo

Supporting Someone With Obsessive-Compulsive Disorder

O transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) é um transtorno de saúde mental que envolve pensamentos ou impulsos indesejáveis e angustiantes (obsessões) e atos mentais ou físicos repetitivos que uma pessoa sente que precisa fazer (compulsões). Quando uma pessoa tem TOC, a doença dela pode afetar outras pessoas ao seu redor, como amigos e parentes. Amigos e parentes podem ajudar, oferecendo apoio e compreensão.

O que eu preciso saber sobre esse quadro clínico?

Uma pessoa com TOC pode apresentar obsessões, compulsões ou ambos. Essa pessoa pode tentar ignorar suas obsessões, ou pode tentar interromper ou desfazer as obsessões por meio de uma compulsão, como um ritual. Ações compulsivas podem parecer sem sentido ou exageradas para você. O seu ente querido pode pensar que dar vazão às compulsões vai reduzir ou prevenir o desconforto dele, mas as compulsões não têm esse efeito.

Exemplos de obsessões comuns incluem:
  • Medo de contaminação com germes, resíduos ou substâncias venenosas.
  • Medo de tomar decisões erradas.
  • Pensamentos ou anseios de natureza violenta ou sexual em relação a terceiros.
  • Necessidade de simetria ou exatidão.

Exemplos de compulsões comuns incluem:
  • Lavar demais as mãos ou tomar banhos demais por medo de contaminação.
  • Verificar certas coisas repetidas vezes para garantir que determinada tarefa foi realizada, como conferir se a porta está trancada ou se a torradeira está desconectada da tomada.
  • Repetir um ato ou frase, às vezes um número determinado de vezes, até obter uma sensação de alívio.
  • Organizar ou reorganizar objetos para mantê-los em uma ordem específica.
  • Ter muita dificuldade para tomar decisões e mantê-las.

As obsessões e compulsões podem ser demoradas e interferir nos relacionamentos pessoais e nas atividades normais em casa, na escola ou no trabalho. O TOC geralmente começa no início da vida adulta e continua por toda a vida. Muitas pessoas com TOC também sofrem de depressão ou outro problema de saúde mental.

O que preciso saber sobre as opções de tratamento?

O TOC poderá ser tratado com:
  • Terapia de exposição e prevenção de resposta. O objetivo dessa terapia é focar e reduzir comportamentos compulsivos. Consiste em expor o seu ente querido às coisas ou situações que fazem com que as obsessões dele comecem (desencadeadores), impedindo-o de dar vazão às compulsões. Esse é considerado o tratamento mais eficaz para o TOC.
  • Terapia cognitivo-comportamental (TCC). Esse tipo de terapia ensina a pessoa a identificar pensamentos irracionais associados às suas obsessões e a substituir esses pensamentos.
  • Medicamentos antidepressivos. Medicamentos são mais eficazes quando usados junto com a terapia.
  • Métodos autocalmantes, como meditação, ioga ou exercícios de relaxamento muscular.

Como posso ajudar meu ente querido?

Fale sobre o problema

  • Pergunte o que o seu ente querido sente quando sofre obsessões e o que ele pretende alcançar com as compulsões. Tente entender a experiência do seu ente querido.
  • Lembre-se de que o TOC é um problema de saúde mental, não um defeito pessoal. O seu ente querido não vai mudar rapidamente nem mudar apenas porque você diz para ele fazer isso.
  • Seja compreensivo ao discutir os sintomas. Não direcione raiva ou frustração em seu ente querido.
  • Comunique-se com clareza, usando termos simples. Por exemplo, se o seu ente querido perguntar se trancou a porta, responda simplesmente com “sim” ou “não”. Explicar demais pode gerar ainda mais estresse para seu ente querido, e excesso de garantias pode piorar os rituais dele.

Encontre apoio e serviços de atendimento

Um médico poderá recomendar serviços de saúde mental que estão disponíveis online ou por telefone. Você pode começar com:
  • Sites de internet do governo, como Substance Abuse and Mental Health Services Administration, SAMHSA (Administração dos Serviços de Abuso de Substâncias e Saúde Mental): www.samhsa.gov
  • Organizações nacionais de saúde mental, como a National Alliance on Mental Illness, NAMI (Aliança Nacional de Distúrbios Mentais): www.nami.org

Considere participar de grupos de ajuda e de apoio, não apenas para o seu amigo ou parente, mas também para você mesmo. As pessoas desses grupos de apoio familiar entendem o que você e o ente querido estão passando. Eles podem ajudar você a sentir esperança e a conectar você com recursos locais para ajudá-lo a saber mais sobre o problema.

Suporte geral

  • Quando o seu ente querido estiver em dúvida e pedir garantias, lembre-o de que a incerteza e a ansiedade são causadas pelo TOC. Não dê garantias quando ele sentir essa necessidade. Isso pode piorar a ansiedade da próxima vez, e a necessidade de garantias pode fazer parte do ritual dele. Seja compreensivo, porém firme.
  • Tente aprender tudo o que puder sobre TOC.
  • Ajude o ente querido a seguir o plano de tratamento conforme as orientações dos profissionais de saúde. Isso pode incluir levá-lo para as sessões de terapia ou sugerir formas de lidar com o estresse.
  • Estimule seu ente querido a fazer o melhor, mas evite pressioná-lo demais. O estresse pode piorar os sintomas.
  • Lembre-se de que você e o seu ente querido devem ter momentos para passar tempo sozinhos.
  • Não participe dos rituais do seu ente querido. Você pode oferecer apoio e estímulo, mesmo que esteja claro que os rituais do seu ente querido não são produtivos.
  • Pense em fazer um “contrato” com o seu ente querido que contenha regras específicas sobre onde ou quando os sintomas de TOC são permitidos e quando não são permitidos. Isso pode ajudar a deixar claro ao seu ente querido que os sintomas podem ser contidos.

Como devo cuidar de mim mesmo?

É importante encontrar maneiras de cuidar do seu corpo, mente e bem-estar enquanto dá suporte a alguém com TOC.
  • Reserve um tempo para atividades que ajudem você a relaxar.
  • Considere participar de um grupo de apoio ou fazer terapia para você mesmo.
  • Pense em praticar meditação e exercícios de respiração profunda para reduzir o estresse.
  • Durma bastante, mantenha uma dieta saudável e exercite-se regularmente.

Busque ajuda imediatamente se:

  • Você achar que seu ente querido está tendo pensamentos sobre machucar a si mesmo ou a outras pessoas.
  • Você estiver em uma situação que ameace sua vida. Saia da situação e ligue para o serviço de emergência (911 nos EUA) assim que possível.

Se você achar que o ente querido pode se machucar, machucar outras pessoas ou se puder ter pensamentos sobre tirar a própria vida, busque ajuda imediatamente. Você pode ir ao pronto-socorro mais próximo ou ligar para:
  • O número de emergência local (911, nos EUA).
  • Um serviço telefônico de prevenção do suicídio, como o National Suicide Prevention Lifeline (Linha da Vida de Prevenção ao Suicídio Nacional), no número 1-800-273-8255. Funciona 24 horas por dia.

Resumo

  • Uma pessoa com TOC pode apresentar obsessões, compulsões ou ambos.
  • Podem ser usados terapia, medicamentos e métodos autocalmantes para tratar o TOC.
  • Seja compreensivo e encorajador ao falar sobre os sintomas com o seu ente querido. No entanto, não incentive os rituais.
  • Reserve um tempo para relaxar e cuidar de si mesmo.

Estas informações não se destinam a substituir as recomendações de seu médico. Não deixe de discutir quaisquer dúvidas com seu médico.

;